Como definir o tamanho das agulhas no Microagulhamento

Como definir o tamanho das agulhas de acordo com o objetivo de tratamento e indicações para cada disfunção? Hoje vamos ampliar a visão e entender quais os pontos chaves para a escolha correta. E vamos tomar como base o entendimento do mecanismo de ação e da classificação da injúria provocada.   

Tamanho das agulhas

Quando o conceito de microagulhamento foi implementado pela primeira vez, parecia óbvio que, para atingir o fibroblasto na camada reticular da derme e promover rejuvenescimento, era necessário um estímulo profundo. Então, o Dr. Fernandes projetou um rolo com agulhas de 3,0 mm. Entretanto, esse procedimento gerava muita dor, além de exigir bloqueio anestésico e centro cirúrgico, o que tornou a técnica menos acessível. Mais tarde, um estudo de Aust mostrou que o rolo com agulhas de 1 mm promovia os mesmo resultados.

O Dr. Schwarts fez um estudo que mostrou uma média de 206% de colágeno aumentado 6 semanas após o tratamento em 20 pacientes. Surpreendentemente, o novo colágeno foi encontrado a uma profundidade de 0,5 mm a 0,6 mm, apesar de a lesão ser de uma profundidade de 1,5 mm.

Selecionar o tamanho da agulha não é um padrão, e não deve seguir uma regra. Vimos, teoricamente, que determinado tamanho de agulha atinge uma profundidade específica. Vimos também que agulhas 0,25 mm ou 0,30 mm são indicadas puramente para permeação de ativos. Acima disso, temos indução colagênica. Mas e quando tratamos uma pele extremamente fina? Ou extremamente grossa?

Será mesmo que não podemos ultrapassar a junção dermoepidérmica (JDE) e deflagrar um processo inflamatório com uma agulha 0,25 ou 0,30?

E se estivermos trabalhando em região de proeminência óssea? E se essa pele passou por procedimentos que afinam a camada epidérmica?

Como escolher

Talvez essa classificação seja voltada para aplicação em uma pele normal e sem alterações, que não é o caso da maioria das clientes que procuram por tratamentos estéticos.

Então vamos juntas aqui desenvolver um raciocínio para chegar a um entendimento da correta indicação das agulhas!

Já usei agulhas com comprimento de 0,25 mm com a caneta eletrônica, na testa de uma cliente, e houve sangramento. Fiz essa escolha baseada na minha avaliação: ela necessitava de um procedimento com objetivo de rejuvenescimento. Porém, ela já havia feito tratamento com CO₂ fracionado, e estava com a pele extremamente fina!

Então eu te pergunto: E se o meu padrão de escolha fosse baseado apenas na classificação das agulhas?

Eu correria um grande risco de gerar uma lesão desnecessária e causar possíveis danos a essa pele! Se nos apegarmos apenas às regras, sem ampliar nossa visão, será que estaremos fazendo boas escolhas?

Anamnese

Portanto, o primeiro segredo para a escolha do tamanho da agulha ideal é avaliar a pele e a história pregressa do cliente. Tenha em mente a necessidade de se dedicar ao máximo a uma excelente anamnese. E esse é um ponto que muita gente deixa pra lá. Mas tenho certeza de que, depois de ler este artigo, se você ainda não se dedica ou não sabe como direcionar bem esse requisito, você vai aprender definitivamente.     

A partir de uma avaliação criteriosa, é definido um objetivo e uma conduta terapêutica. O que é preciso acontecer fisiologicamente para corrigir a disfunção e melhorar a qualidade do tecido? Essa é a primeira pergunta que devemos nos fazer!

Equipamentos

A segunda pergunta é: Qual equipamento usarei? Rolo ou caneta?

Alguns autores defendem que a lesão com a caneta é menor do que a provocada pelo rolo. E defendem que o uso da agulha 0,5 mm com a caneta é indicado para permeação de ativos.

Aqui surgem outras perguntas. E se eu aumentar o número de punturas, aumentar a velocidade do equipamento, ou o número de agulhas no cartucho? E se eu aumentar a pressão aplicada no rolo?

Terei mais lesão tecidual também. Percebe como fica difícil seguir uma regra?

Você deve estar se perguntando: “E agora? O que eu faço? Acho que tudo ficou pior ao invés de clarear!”

Fica tranquila, que vai melhorar…

Lesões x Resultados

Vamos resgatar o estudo do Dr. Aust, que mostrou que não há ganho significativo com uma agulha de 3,0 mm comparado aos resultados obtidos com agulhas de 1,0 mm. Logo, podemos inferir que, mesmo gerando menos lesão, é possível obter resultados muito satisfatórios.

Então surge mais uma questão: Será que preciso realmente lesionar a pele além do necessário para desencadear respostas positivas?

Vale lembrar que o microagulhamento tem duplo benefício: o aumento da entrega de ativos, somado à liberação de fatores de crescimento essenciais que estimulam a síntese de colágeno por meio de comunicação celular. Portanto, não há necessidade de promover uma lesão intensa e profunda para “atingir” o fibroblasto na camada dérmica.

Um estudo de Lima e Lima classificou as indicações das agulhas perante o grau de lesão na superfície do tecido. Embora esse estudo tenha sido feito em pele de porco, e a metodologia não mostre semelhança com a prática clínica, podemos observar que há uma diferença na intensidade da resposta da lesão. Agulhas mais compridas tem diâmetro maior e aumentam o potencial da lesão.

Exemplos úteis

Vou dar 3 exemplos que vão construir um pensamento alinhado pra você aprender definitivamente quais pontos deve considerar na escolha das agulhas:

Para uma pele envelhecida, é preciso desencadear o estímulo de colágeno. É preciso liberar fatores de crescimento que estimulam os fibroblastos através de um processo inflamatório controlado.

Para que isso aconteça, é necessário atingir a JDE. Então, pode-se usar uma agulha de 0,5 mm, se for uma pele mais fina; e uma agulha 1,0 mm, se a pele for mais grossa. É o caso de um fotoenvelhecimento, por exemplo. Ou o caso de cicatrizes de acne, em que se deve atingir a derme para que haja quebra das pontes colagênicas da cicatriz, para favorecer a remodelagem e síntese de um novo colágeno saudável e alinhado.

Pense também que deverá haver uma associação cosmética para maximizar a comunicação celular, a síntese de componentes da matriz, e novas células para resgate da estética desse tecido. Logo, não se deve focar apenas na lesão.

Objetivos de tratamento

E quando pensamos em uma pele hiperpigmentada? Podemos inflamar em demasia? De jeito nenhum!

Qual o meu objetivo de tratamento? Entregar ativos e promover renovação celular e modulação do melanócito. E onde está o melanócito?

Na camada basal. Com qual comprimento de agulha eu consigo atingir essa camada? Posso usar uma agulha 0,25 mm, 0,30 mm ou 0,5 mm, dependendo da espessura da pele!

A pergunta certa faz toda diferença. Olhar para o objetivo do tratamento abre nossa mente para uma visão mais abrangente das reais necessidades de cada cliente. Individualmente!

Raciocínio clínico

Agora, para te ajudar ainda mais e fecharmos nosso raciocínio clínico, vou compartilhar com você o meu “norte” para a utilização de agulhas.

Chamo de “norte”, porque não é algo engessado, mas me dá uma direção. E mesmo com essa tabela, que adaptei com base na literatura e na minha prática clínica, eu nunca dispenso meu olhar crítico na hora de avaliar!

Baixe gratuitamente a tabela para saber como utilizar as agulhas:

BAIXAR TABELA GRÁTIS

Conclusão

Podemos concluir que apenas o tamanho da agulha não determina a performance do tratamento. E que mais agressão não significa mais resultados.

Algo muito importante que aprendi e vivenciei na minha prática clínica é que nenhum recurso ou técnica trabalha sozinho na obtenção de um resultado de alto nível. É preciso desenvolver o raciocínio clínico, com um olhar voltado para os objetivos terapêuticos de cada indivíduo, e associar condutas que se complementam para entregar uma pele restaurada e saudável.

10 Comentários



  1. Olá bom dia!
    Marina,
    Amei as informações, muito úteis e de grande valia.
    Obrigada 😘

    Responder

  2. Nunca uma pessoa foi tão clara , ja fiz cursos em que não obtive metade das suas explicações em uma publicação, parabéns !

    Responder

    1. Fico muito feliz Patricia, meu objetivo é justamente esse, ajuda-las a entender de forma clara e objetiva para que potencialize todos os seus resultados, continue aqui comigo que vem muita maias materiais pra vcs! bjosssss

      Responder

  3. Microagulhamento capilar para Alopécia (Dermapen) com entrega de ativos, você indica qual profundidade de agulha e velocidade ?

    Responder

  4. Eu também gostei demais de suas explicações Marina. Bem objetivas suas comparações. Obrigada. Que Deus te abençoe muito!!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *