Microagulhamento de Sucesso: Como Fazer o Plano de Tratamento Perfeito

Neste artigo você vai aprender em 5 passos como alavancar seus resultados usando microagulhamento. Esse é um recurso incrível que caiu no gosto tanto dos profissionais quanto dos clientes. Hoje, é considerado tratamento padrão ouro de uma clínica de sucesso. E para que seu cliente receba todos os benefícios, e se sinta feliz e realizado com os resultados, nosso dever é conhecer em profundidade os efeitos e possibilidades da técnica. Somado, é claro, a tudo que abrange um ótimo gerenciamento da pele e dos recursos disponíveis para associações inteligentes.

Por que Microagulhamento?

A técnica do microagulhamento tem demonstrado resultados incríveis. Associar e criar um plano de tratamento personalizado e individual vai te ajudar a se tornar uma profissional da estética do futuro. Aquela que entrega resultados além do esperado; aquela que é lembrada por ter o fator “UAU”. Já entendeu aonde eu quero chegar, certo?

Não é possível alcançar esse nível de excelência apenas ao replicar protocolos. Gosto dos protocolos sim, pois são um norte na nossa prática clínica. Entretanto, se não buscarmos entender o que está por trás de uma boa conduta, corremos o risco de não conseguir resolver as dores e queixas de todos os clientes. E pra facilitar a sua vida, eu reuni aqui os pontos principais que me fizeram mudar a forma como eu elaboro minhas condutas terapêuticas e entrego meus resultados. Agora, você também vai poder aplicar.

Nós vamos começar com foco na elaboração de condutas terapêuticas baseadas na fisiologia da pele e na interação dos recursos e dos ativos cosméticos com o tecido.

Avaliação

O primeiro passo para elaborar um tratamento de sucesso é a avaliação. Eu gosto de usar o termo consulta estética, que é um encontro inicial com o cliente para entender suas queixas e suas expectativas, para direcionar a melhor conduta. Isso é da maior importância para o sucesso e a venda correta do tratamento.

#1 Recepção

Entre com o cliente na sala com a ficha em mãos. Esse primeiro encontro deve ser regado de experiências positivas. O processo de venda não acontece apenas na hora que você apresenta o orçamento, e sim a partir de tudo o que o cliente percebeu de você e da sua conduta.

O microagulhamento é um tratamento que ainda gera muitas dúvidas nos clientes. Eles querem muito fazer, mas têm muitos medos e objeções. Nós precisamos ser a pessoa certa para ajudá-los a resolver. Não só saber o que fazer para entregar o resultado, mas também gerar confiança e segurança. Talvez a pessoa te procure pelo microagulhamento, talvez por alguma disfunção específica… Nós sabemos que o microagulhamento é eficiente para tratar todas elas, porém precisamos adequar a conduta individualmente baseada nas necessidades particulares de cada um. Faça de tudo para que ele se sinta seguro com você!

microagulhamento com dermapen

E aqui trago um reflexão: o que está te impedindo de entregar uma experiência incrível para o seu cliente? O que está te impedindo de passar segurança nas suas palavras, de direcionar uma consulta personalizada? Em que pontos você precisa melhorar?

Não há evolução sem análise e sem prática. E não há como entregar resultados e conquistar mais clientes sem ser a pessoa que vai de fato ajudar outras pessoas a conquistarem a pele dos sonhos! Portanto analise seus pontos fracos e faça o que é necessário para melhorar!

#2 Atenção

Escute e entregue 100% da sua atenção no momento da consulta! Esteja presente! É neste momento que você colhe as informações mais importantes para oferecer o tratamento na medida pra ele.

Tenha em mãos algumas perguntas essenciais:

1) O que te motivou a procurar um tratamento estético, e o que mais te incomoda?

Aqui, você direciona o objetivo do tratamento, o que exatamente quer tratar, qual a dor que ele sente a respeito dessa disfunção! É preciso entender que estética é coisa séria. As pessoas sofrem, e por isso procuram ajuda; não estão ali só por fazer.

2) Há quanto tempo você tenta resolver esse problema?

Quanto mais tempo a pessoa já passou tentando, mais confiança ela precisa sentir. Essa pessoa talvez já esteja cansada de gastar e tentar, e você precisa ser aquela que realmente se importa e vai ajudar. E quanto mais procedimentos ela já tenha feito, pode ser que precise de mais tempo para corrigir.

3) Quais tipos de tratamentos e produtos você já fez e já usou?

Aqui vamos entender o tipo de agressões pelas quais a pele já passou, quais os cuidados necessários, para assim direcionar nossa conduta de pré-tratamento. Pode ser que já tenha passado por tratamentos agressivos, usado muitos produtos, e aquela pele esteja intoxicada, inflamada!

4) Me fale um pouco sobre a sua rotina! O seu trabalho!

Este é um ponto chave para a estruturação do tratamento. O cliente precisa de algo que se encaixe na sua rotina da melhor forma possível. Caso contrário, pode haver grande chance de ele faltar ao tratamento, ou não seguir as orientações. Se você sabe que sua cliente trabalha na rua, por exemplo, não marcará a sessão de micro no meio da semana. Você dará preferência para marcar próximo do final de semana e quando não tiver nenhum compromisso inadiável.

5) Quais as suas expectativas quanto aos resultados?

Aqui é o momento de dividir responsabilidades e alinhar expectativas! O fracasso da maioria das pessoas que não alcançaram os resultados desejados, ou tiveram uma recidiva, deve-se provavelmente a não terem se dedicado e esperado o tempo necessário para restabelecer a saúde daquela pele; não tiveram o tratamento adequado para corrigir a disfunção; foram-lhes prometidos milagres, e não foram compartilhadas as responsabilidades. É muito importante que o cliente entenda que é necessário um processo para gerar resultados, e esse processo precisa de comprometimento e mudança de hábitos, o que inclui comparecer nas sessões estéticas e seguir todas as orientações passadas por nós, profissionais. Além de ter bem claro que cuidados com a pele são diários, e nenhum tratamento vai resolver o problema para sempre.

Como fazer essa mágica acontecer? Primeiro, seja sempre muito sincera. Nunca diga que o tratamento sozinho será responsável pelos resultados. Isso acontece quando firmamos uma parceria entre profissional e cliente. Explique e deixe isso bem acertado, e finalize com a seguinte pergunta:

De zero a dez, quanto você está comprometida com seu tratamento? Eu farei o meu melhor com tudo o que sei, e preciso que você dê o seu melhor também. Combinado?

#3 Avaliação física

Hora da avaliação física da pele: este é um momento muito importante. Analise minuciosamente toda a pele e use de todos os recursos que tiver disponíveis para avaliação. Use lupa com luz, analise na lâmpada de Wood, sinta a textura da pele, identifique o tipo de pele, os tipos de alteração. Gosto muito de anotar tudo o que eu observo na avaliação. Não gosto de usar aquele modelo que você marca um “x”; gosto de anotar tudo o que vejo e sinto. Nesse momento, converse, investigue a sensibilidade a agulhas e à dor. Isso é muito importante para determinar também o tamanho da agulha que você pode usar. Quem ainda tiver dúvidas sobre o tamanho das agulhas e ainda não leu o post sobre, dá uma olhadinha que vai ajudar muito.

#4 Registro fotográfico

Tire fotos. Tenha um cantinho pra isso. Faça várias fotos para poder ter um parâmetro seguro de comparação. Elas serão necessárias para uma análise mais cuidadosa, caso surja alguma dúvida sobre a conduta.

#5 Transparência

Explique os objetivos do tratamento, e fale sobre o recurso principal que vai usar. Aqui, no caso do microagulhamento, foque nas vantagens reais da técnica. E, pra finalizar, passe o preço do tratamento.

Impacto nas vendas

Tenho certeza de que, inserindo essas dicas na sua avaliação, você vai conseguir fechar mais tratamentos e se sentir cada dia mais segura. Faça aquilo que você realmente se sinta apta a fazer; se não souber, indique alguém; se tiver dúvidas, pergunte, estude. Após a avaliação, analise com cuidado o passo-a-passo que irá realizar.  

Portfólio

Tenha um portfólio com os tratamentos e seus preços, calculados com base na realidade da sua empresa, e não na sua concorrência. Lembre-se de que você é uma profissional da estética do futuro, e isso é essencial. Separe os tratamentos em combos por disfunção, que compõem associações com duas, quatro ou seis sessões de microagulhamento. Quando você avaliar a pele, saberá quantas sessões de microagulhamento essa pessoa vai precisar inicialmente!

Deixe sempre bem claro para o cliente que pode ser que haja necessidade de mais um ciclo, e que isso será reavaliado ao final do tratamento. Pode também haver necessidade de mudanças de condutas no meio do tratamento, porque você não trabalha com nada engessado — estará sempre reavaliando, medindo resultados, e fazendo ajustes, se necessário.

Eu criei uma tabela com esses combos e a média de sessões para cada disfunção. Nesses combos, sigo o protocolo (pré, dia do microagulhamento, pós e home care). É só você adequar para sua prática e colocar o preço calculado de venda!

BAIXAR TABELA DE COMBOS DE MICROAGULHAMENTO →
Recursos

A partir desses combos, você vai montar a conduta personalizada para o cliente em questão com nos recursos que você tem disponíveis. E saber exatamente o que você tem mãos faz toda a diferença. Você já parou para analisar todos os recursos que você possui?

O que está esquecido lá no armário porque está “fora de moda”, ou porque você não sabe mexer, ou não sabe onde exatamente usar?

Analise e coloque no papel no papel tudo o que você tem de equipamento e recursos, eletro, foto e manual a oferecer em associação ao microagulhamento! Analise profundamente o que você sabe e o que ainda precisa aprender sobre o que tem. Afinal, você fez um investimento, e esse recurso deve trazer retorno para sua empresa e para os seus clientes.

Plano de tratamento

Você já identificou o objetivo do seu cliente. Agora, precisa ter em mente que, para um excelente resultado — aquele resultado “UAU!”, você precisa pensar em mais algumas etapas….

Pré-tratamento

Esse passo é de extrema importância para o sucesso do tratamento. Toda pele que apresenta qualquer tipo de disfunção não está desempenhando suas funções de maneira otimizada…

Então, será que está apta a passar por um processo inflamatório sem se preparar? Será que o processo de regeneração vai acontecer de maneira positiva e gerar uma pele nova e bonita, atendendo às expectativas tanto nossas quanto do cliente?

Nessa etapa, temos o objetivo de:

  • Limpar
  • Hidratar
  • Repor nutrientes (aminoácidos, vitaminas, oligoelementos), e
  • Otimizar as funções celulares

Aqui, é preciso pensar na estrutura e na fisiologia da pele. Lembrar que a pele apresenta componentes essenciais para seu funcionamento e reparo. E que é essa interação que vai devolver a saúde e, como consequência, contribuir para o aspecto estético desejado.

Vamos dividir em quatro sessões, uma vez por semana. Portanto, precisamos de, pelo menos, um mês de preparo junto com o uso correto de home care e proteção solar. Muitos clientes não querem passar por esse período, pois não compreendem que os resultados vêm com um conjunto de condutas, e não apenas pelos efeitos do microagulhamento.

E do que necessita uma pele saudável e apta a se regenerar de maneira a gerar resultados?

☞ 1ª sessão
  • Limpar

Aqui entra a velha e imprescindível sessão de limpeza de pele. Nem é preciso falar que uma boa limpeza de pele é indispensável. A limpeza tem a função de eliminar as sujidades e possíveis barreiras que impeçam o aproveitamento dos ativos que serão utilizados nas sessões posteriores. Além, é claro, de já dar aquela sensação de pele bem cuidada, que já anima o cliente.

☞ 2ª, 3ª e 4ª sessões
  • Renovar
  • Hidratar
  • Repor nutrientes (aminoácidos, vitaminas, oligoelementos)
  • Fortalecer o sistema antioxidante
  • Melhorar a circulação sanguínea e linfática, e
  • Otimizar as funções celulares

✅ Nessas sessões, podemos associar:

  • Peelings enzimáticos
  • Peeling de diamante, cristal e água
  • Alfahidroxiácidos com baixa concentração
  • Microcorrentes, drenagens e massagens
  • Led e laserterapia de baixa potência
  • Vacuoterapia
  • Ionização
  • Radiofrequência com temperatura baixa até 38 graus, e
  • Carboxiterapia com fluxo e volume baixo com objetivo de oxigenar, aumentar a circulação local e linfática, e melhorar a produção de energia e renovação celular

Esses recursos, em sinergia com ativos cosméticos, aumentam o poder de reestruturação da pele. Somado a isso, deve-se focar em ativos como:

Vitaminas
  • Vitamina C, que é antioxidante e trabalha ativamente na síntese de colágeno
  • Vitamina E, antioxidante que protege a membrana celular
  • Vitamina A, que trabalha na regulação da proliferação e diferenciação celular epidérmica e dérmica, e também aumenta a síntese de colágeno
  • Vitamina B5, que trabalha na hidratação e reduz perda de água transepidérmica, e também tem papel importante na regeneração tecidual
Oligoelementos
  • Magnésio, que promove energia celular e está envolvido em inúmeras reações enzimáticas
  • Silício, importante na recuperação do tecido e na formação de colágeno, pois é um importante substrato para o fibroblasto
  • Zinco, necessário na síntese de colágeno, elastina, e também para reparação e divisão do DNA celular, bem como para diferenciação celular; indispensável na produção de enzimas antioxidantes endógenas, como superoxidesmutase; atua ainda como cofator das enzimas de degradação MMPs.

Os hidratantes, como ácido hialurônico, que além de potente hidratante, também trabalha no processo de regeneração da pele.

Os aminoácidos, como Pca, hidroxiprolina e lisina, que fazem parte da composição das proteínas epidérmicas e dérmicas, e também na hidratação da pele.

Existe um infinidade de ativos a serem explorados, e as grandes marcas trazem na sua formulação uma variedade deles. Analise a composição dos produtos das suas marcas preferidas, e analise o que você tem em clínica.

O dia do microagulhamento: O que usar e como proceder

Em primeiro lugar, a prática do microagulhamento requer cuidados básicos com biossegurança. Esteja sempre paramentada com luvas, máscara, jaleco limpo e touca. Limpe toda a área de trabalho, encape os frascos limpos com álcool 70º e cubra a bancada e cabeceira da maca com papel filme. Higienize as mãos do cliente, e peça para não tocar no rosto no momento do procedimento. Higienize todo o rosto com sabonete ou solução de clorexidine, e depois retire o excesso com soro fisiológico estéril. Caso opte pelo uso do anestésico, aplique após a assepsia, retire por completo, e faça assepsia novamente antes de começar o procedimento.

Nunca microagulhe a pele com o anestésico na superfície, e nunca microagulhe e depois aplique. Isso nem faz sentido, mas já vi acontecer. Tal prática que pode causar muito efeitos colaterais graves, até mesmo parada cardiorrespiratória. Devemos lembrar que o microagulhamento é um recurso que promove penetração de ativos integralmente na pele. Portanto, devemos ter cautela.

Para o dia do microagulhamento, é preciso pensar na escolha do dispositivo a ser usado. Minha recomendação é: utilize aquele que você tem mais segurança em usar. A dermapen veio para facilitar nossas vidas e baratear os custos. Mas, se você ainda não se sente segura, procure se especializar mais antes de aplicar. De qualquer jeito, deve-se seguir a metodologia de aplicação à risca. Isso diminui a dor do paciente e possíveis danos desnecessários ao tecido.

Tamanho das agulhas e Associações cosméticas

Sobre a escolha do tamanho das agulhas, fiz um post específico, onde você também encontra uma tabela com critérios para te ajudar na decisão em cada caso, e que você pode baixar gratuitamente. Então, vamos às associações cosméticas.

A base cosmética deve ser fluida (gel, sérum) e livre de ingredientes irritantes, como fragrâncias, conservantes e corantes, por exemplo. Hoje, temos uma infinidade de linhas exclusivas para o microagulhamento apresentadas em monodoses, que facilitam a aplicação e diminuem os riscos de contaminação. Você também deve encontrar produtos em conta-gotas. Com esses você deve tomar um cuidado a mais. Aconselho deixar os produtos nessa apresentação exclusivos para uso no dia do microagulhamento, com o devido cuidado de não encostar o conta-gotas na pele, nem deixá-lo entrar em contato com superfícies como maca, carrinho etc.

Alguns ativos para cada caso

Aqui devemos focar em ativos que complementem o processo, que combinem e que sejam necessários para formação do colágeno e de proteínas da matriz e de novas células.

Ácido hialurônico

O ácido hialurônico sempre será um coringa, e pode ser usado em todas as disfunções. O microagulhamento já promove indução da cascata bioquímica de colágeno e proliferação de novas células; o ácido hialurônico vem para auxiliar essa fase, pois trabalha na manutenção do tecido e estimula a síntese de colágeno.

Fatores de crescimento

Para tratamentos rejuvenescedores, estrias e cicatrizes atróficas, os fatores de crescimento são muito bem vindos. Eles direcionam o efeito desejado ao estimular a atividade celular, e podem ser associados a vitaminas e oligoelementos também. Com TGf-beta 3, EGf e FGF, associados a silício e ácido hialurônico, obtém-se um estímulo de todas as camadas da pele, o que melhora a densidade epidérmica e dérmica, bem como ajuda na reposição de nutrientes essenciais para as células nesse processo.

Clareamento

Se o objetivo for clareamento, pode ser associado ácido tranexâmico, ativo muito usado em associação com microagulhamento. Ele trabalha na inibição da tirosinase, e inibe pigmentação pós-inflamatória. Além de ser quelante o íon ferro presente nas manchas de hemossiderina, muito frequentes em olheiras; o tgp2 peptídeo trabalha na inibição da transferência das melanossomas para os queratinócitos.

Cuidados

Aqui, devemos estar atentos à não exacerbação do processo inflamatório. Portanto, prefira usar agulhas menores.

⚠️ E atenção: jamais use qualquer tipo de ativo queratolítico logo após microagulhar, nem qualquer tipo de produto de permeação gradativa que cause esfoliação. Quando se aplicam esses tipos de produtos, perde-se a mão da profundidade atingida. Podem-se causar sérios danos ao tecido, que pode apresentar manchas e cicatrizes.

Lembre-se de que estamos nesta profissão para fazer o melhor. Por isso, temos que nos tornar a cada dia mais excelentes nas nossas práticas, e portanto menos sempre é mais. Se você estiver na dúvida sobre qual ativo ou produto usar, vá para o simples: use ácido hialurônico.

Pós-microagulhamento

Logo após, e nos próximos 3 a 4 dias, a pele pode ficar sensível. Pode haver ardência e repuxamento, devido à perda de água através dos canais. Internamente, está acontecendo um processo inflamatório, e esse tecido necessita de cuidados.

lavando o rosto

Antes de dormir, o cliente pode lavar o rosto com sabonete neutro, e utilizar durante esse tempo água termal e vitamina C. Após quatro dias, marque um retorno e faça sessão de reposição de nutrientes, hidrate, lance mão de recursos que contribuem para a regeneração do tecido, como microcorrentes led e laser vermelho, e siga a linha de raciocínio do pré-tratamento:

  • Hidratar
  • Nutir
  • Combater radicais livres
  • Estimular a síntese de ATP
Associações que causam inflamação

As associações de recursos que causem algum tipo de inflamação, mesmo que pequena, devem ser inseridos somente após 15 dias de tratamento para agulhas menores, e 30 dias para agulhas maiores. Assim, você não corre o risco de causar inflamação em cima de um tecido que ainda está em processo de reparo. Isso poderia aumentar a expressão de enzimas que degradam colágeno e elastina, com aumento também de radicais livres. Nesta situação, seria impossível remodelar o colágeno. Haveria, em vez disso, a síntese de estruturas fracas que não contribuem para o resultado esperado.

Quando o cliente vier para a sessão de apoio no quarto dia, inclua algum produto que seja destinado à disfunção em questão: despigmentantes para manchas, ativos preenchedores e que estimulem a produção do colágeno, e componentes da matriz para cicatrizes, rugas, flacidez e estrias. Continue com as sessões uma vez por semana. Nelas, inclua protocolos direcionados para cada disfunção, nunca deixando de lado a nutrição, a hidratação e o reforço antioxidante. Isso dá base para a pele se fortalecer, o que ajuda na reversão da disfunção, e contribui muito com os resultados finais.

Na sequência, elabore protocolos de manutenção para que seu cliente esteja sempre por perto, para que você possa acompanhar e cuidar dele apropriadamente. Isso vai ser bom para você, para ele e para seu negócio.

Resultados na prática

Há muito o que aprender, e neste artigo eu reuni o essencial para que você possa se aprimorar em microagulhamento. Coloque em prática amanhã mesmo. O universo de possibilidades de associações é imenso, e existem muitos pontos a serem discutidos com mais profundidade ainda.

Se isso faz sentido para você, e se você ama todo esse universo do microagulhamento da pele, dos cosméticos e dos recursos eletroterapêuticos, o próximo passo é aprofundar ainda mais seus estudos, porque tudo isso se aprende gradativamente, e é impossível aprender tudo em um artigo só.

Com base nas experiências de sucesso dos meus cursos, e pensando nas pessoas que querem levar esse assunto a sério e realmente se aprofundar, eu criei um programa online de estudos exclusivo: o curso de Expertise em Microagulhamento e Associações. Para saber mais, clique agora no link:

EXPERTISE EM MICROAGULHAMENTO E ASSOCIAÇÕES

2 Comentários


  1. Ola boa noite, adorei tudo que li, realmente fiquei mais confiante naquilo que vou começar a trabalhar. Tinha algumas dúvidas e agora ficaram mais claras. Espero suprir as minhas próprias espectátivas e as das minhas clientes!!!. Obrigada.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *