Hidratação da Pele: Vale a pena investir? (Surpreenda-se!)

hidratação da pele

Hidratação da pele

Você já parou para pensar e entender por que a hidratação da pele, uma conduta aparentemente simples, pode mudar os seus resultados? Já parou para pensar o que uma boa hidratação cutânea pode fazer pelos seus resultados e pela pele da sua cliente?

Como você enxerga os procedimentos de hidratação cutânea? Como você passa essa importância para suas clientes? Elas realmente entendem essa importância e aderem ao tratamento completo?

No artigo de hoje, venho com dicas importantes para você ter segurança e argumentações embasadas para direcionar o tratamento completo e efetivo para a sua clientela. Hoje você vai compreender a importância da hidratação cutânea, sua função e relação com os resultados estéticos.

Nosso foco na estética, principalmente facial, é recuperar a beleza e jovialidade da pele. Para isso, nosso olhar deve se voltar à sua recuperação global. É imprescindível que todas as células e estruturas sejam incentivadas a trabalhar de forma otimizada. O tratamento multicamadas determina se o resultado será satisfatório ou mediano.

A importância da Água

A presença de água em nosso corpo é vital. Uma das funções da pele é trabalhar para manter os níveis de água equilibrados, para que todas as funções celulares possam acontecer.

A água é tão importante para a vida que nosso corpo é composto de 60 a 70% de água. Todas as células abaixo da camada de queratina são banhadas por um líquido extracelular. Também possuem um meio aquoso intracelular, cuja composição eletrolítica é muito semelhante à dos oceanos da Terra Primitiva, onde surgiu a primeira célula.

A partir daí, as células construíram uma ambiente aquoso, para que pudessem manter seu metabolismo e suas funções com toda a intensidade. E qual é o papel que a água desempenha para ser tão indispensável à vida, e, claro, à beleza da nossa pele?

As propriedades da Água

Por suas propriedades físico-químicas, a água é um solvente universal, indispensável nas soluções interativas. Praticamente toda reação química necessita de moléculas de água como reagente. Participam dos processo enzimáticos (transformam uma enzima inativa em enzima funcional), processos esses que aceleram atividades químicas celulares. Sem água e sem ação enzimática, há um atraso na recuperação da pele e na síntese de proteínas essenciais.

Uma propriedade fantástica da água é a autoionização. Isto é, estar em forma de OH- (hidroxila) e H+ (hidrogenio) espontaneamente. A hidroxila e o hidrogênio são espécies químicas muito reagentes, “atacam” moléculas e quebram ligações, e agem principalmente na hidrólise do ADP (energia armazenada) em ATP (energia pronta para uso). Isso possibilita que as células tenham a energia necessária para suas atividades metabólicas.

Água e Procedimentos Estéticos

Imagine uma pele com baixo teor de água passando por tratamento de peeling ou microagulhamento… Necessitando de energia para se regenerar, energia para o fibroblasto produzir seus componentes proteicos… Qual será o resultado se a água não estiver lá?

Veja como a falta de água gera um impacto negativo em nossos resultados. Deixar a pele “secar” ao máximo depois de um peeling, por exemplo, não faz sentido. O objetivo do peeling já foi atingido quando a pele recebeu o produto, e vai acontecer você hidratando ou não. Agora, o que vai mudar é como essa pele vai responder aos resultados finais se ela estiver hidratada ou não.

A pele possui um complexo hidratante importante, cujo objetivo é represar, manter e distribuir a água vinda da corrente sanguínea para todas as células. Essas funções são exercidas pelo FHN (fator natural de hidratação), cemento intercelular, manto hidrolipídico e aquaporinas.

Entenda como isso funciona

Em primeiro lugar, devemos lembrar que, no decorrer do processo de diferenciação celular, são formados os componentes hidratantes da epiderme. Na transição entre o estrato granuloso e o córneo, o conteúdo celular interno é degradado, e parte é jogado para fora da célula, formando um envoltório celular (cemento celular), composto principalmente de ceramidas, ômegas e ácidos graxos.

Esse conteúdo envolve todas as células do estrato córneo. Na superfície, se une com a secreção sebácea e o suor, formando o manto hidrolipídico. Juntos, esses componentes formam um selante que impede ao máximo a perda de água transepidérmica (TEWL).

Outra parte desse conteúdo que permanece dentro da célula forma o FNH, composto por aminoácido, oligoelementos (Na, K, Ca, Mg), PCA (umectante potente derivado do ácido glutâmico) e ureia. Esses componentes possuem propriedades altamente higroscópicas, característica essa que faz com que a água permaneça dentro da célula.

O conteúdo de água retido na pele deve se manter em torno de 20 a 35%. Abaixo desse valor, a pele se encontra desidratada. Quando é inferior a 10%, a pele apresenta sinais xeróticos e outras doenças. Nas peles envelhecidas e xeróticas, há uma redução importante do fator natural de hidratação.

Por isso, esse é o primeiro item da lista de um tratamento responsivo. Reestruturar esse complexo celular e hidratante da epiderme deve ser nosso primeiro passo para resultados duradouros e de alta performance.

Retenção de água na derme

A água atinge a derme a partir dos capilares sanguíneos, atravessa a junção dermoepidérmica por difusão, e é transportada e distribuída pelas aquaporinas (AQP). As aquaporinas são canais localizados na membrana celular dos queratinócitos basais e suprabasais, possibilitando um aumento de 10 a 100 vezes na permeabilidade da membrana à água, com características seletivas e habilidade para evitar perdas de eletrólitos. Afinal, a diferença de concentração de hidrogênio na célula é crucial para o sistema de armazenamento de energia.

Na pele, a AQP mais importante é a AQP-3,  que pertence à família das aquaporinas chamadas aquagliceroporinas. Elas são responsáveis pelo transporte tanto de água, quanto de glicerol, que tem ligação direta na síntese de lipídeos presentes entre as células do estrato córneo. Essas proteínas têm uma diminuição gradativa nas células expostas ao sol e no envelhecimento, podendo ocorrer total desaparecimento, o que diminui a hidratação da camada córnea e a homeostasia cutânea.

A derme também possui seu mecanismo hidratante por meio das glicosaminoglicanas (GAGs) e do o ácido hialurônico (que também está presente na epiderme e atua na diferenciação dos queratinócitos, na formação dos corpos lamelares e na organização do citoesqueleto celular). Ele é altamente umectante, e ativa a produção dessas substâncias pelos fibroblastos, conferindo o aspecto macio e preenchedor da face.

Na derme, o grande responsável por produzir essas substâncias são os fibroblastos, que necessitam de estímulo para sintetizá-las, e merece atenção nas peles acima de 25 a 30 anos. A água atinge a derme diretamente através do capilares sanguíneos e é atraída pelas GAGs presentes na substância fundamental amorfa.

Faz sentido haver tantos mecanismos de retenção de água se ela não fosse importante? Faz sentido conduzir qualquer tratamento estético antes que a pele esteja devidamente hidratada? E se a pele não estiver hidratada?

Pele sem água…

Conheça agora a influência de uma pele deficiente em água nos seus resultados estéticos:

  1. A pele não responde bem aos tratamentos com eletroterapia. A corrente elétrica se difunde melhor em meio hidratado (e isso serve para tratamentos corporais também).
  2. Alteração no ritmo normal de maturação e descamação, já que a presença de água ativa enzimas quimiotripinas, responsáveis pela hidrólise dos desmossomos (proteínas que ligam uma célula a outra), mostrando uma pele opaca e sem brilho devido ao excesso de corneócitos aderidos.
  3. A pele ressecada apresenta diminuição de aquaporinas, o que diminui a entrega de água às células para desempenhar suas funções. Isso impacta diretamente na formação equilibrada de todos os outros complexos hidratantes.
  4. A pele com baixo teor de água não se regenera, e não recebe energia adequada para desempenhar suas funções. Isso atrasa o processo de entrega de resultados não só em tempo como também em qualidade. Queratinócitos e fibroblastos em processo de proliferação e síntese de seus componentes necessitam de hidratação, caso contrário a qualidade do seu trabalho será pobre.
  5. A ausência de água suficiente na pele prejudica a produção, e a conformação espacial e funcional das proteínas da pele. Por exemplo, a formação tridimensional do colágeno é prejudicada na escassez de água.

Acredito que temos motivo de sobra para mostrar para o cliente, e nos convencer também da importância do nosso trabalho sob todos os ângulos. Não é só a técnica da moda, ou o equipamento avançado que vão gerar resultados. O que gera os resultados das técnicas que temos hoje disponíveis é o quanto as estruturas da pele interagem e produzem ações. E para tudo isso acontecer de maneira ótima, a presença da água na quantidade adequada é imprescindível.

Como oferecer uma hidratação de impacto

O  primeiro passo é ajudar sua cliente a desenvolver o hábito de ingerir a quantidade correta de água. Você sabia que a quantidade de água ideal está diretamente relacionada com seu peso atual?

Já dei essa essa dica no meu Guia Definitivo de Saúde da Pele, que você pode baixar de graça no link. Mas o assunto é tão importante que achei pertinente colocar aqui novamente. Estamos cansadas de saber que precisamos ingerir pelo menos 2 litros de água por dia… Certo?

Depende. Isso varia de pessoa para pessoa. Para saber o quanto seu corpo necessita de água diariamente, use a fórmula: 35 ml para cada quilo (35ml x P = quantidade de água diária). Instrua sua cliente na quantidade diária e nos horários.

Não adianta tomar tudo de uma vez: o segredo é fornecer um pouco por hora. E para quem não tem o hábito, programar um alarme no celular ajuda muito. Esse hábito não só transforma a pele, mas também melhora muitas outras funções do organismo.

Frentes de hidratação

Em cabine e home care, opte por trabalhar cinco frentes de hidratação:

  1. reposição de umidade e dos componentes de hidratação natural
  2. ativação de aquaporinas
  3. restabelecimento da função lipídica
  4. selagem osmótica
  5. estímulo à produção de GAGs

Quando hidratar a pele

  1. No pré e pós tratamento usando qualquer recurso lesivo (microagulhamento, peelings, laser, luz pulsada, microabrasão)
  2. Nas peles com melasmas e manchas pós inflamatórias
  3. Em qualquer intercorrência estética como forma de SOS (como queimaduras superficiais, por exemplo)
  4. Associado a correntes terapêuticas
  5. Para manutenção, tratamento e prevenção do envelhecimento
  6. Nos tratamentos de acne

Como oferecer uma hidratação perfeita

Escolha ativos que tenham ação sinérgica. Isto é, que se complementem, ou que estimulem várias vias de hidratação, e complementem nutrindo e estimulando a produção de componentes de hidratação. Vou dar algumas dicas:

  • Aquaregul K
  • Amiporine
  • Ácido hialurônico de baixo e alto peso molecular
  • Oligoelementos e minerais
  • Acácia do Senegal
  • Ácido lático
  • D pantenol
  • Vitaminas C, A, E
  • Ceramida
  • Aquasense
  • Calcidonee
  • Aminoácidos (colágeno)
  • Fucogel
  • Glucanolactona
  • Hidriviton
  • Ômega 3 (algas marinhas)
  • Escalenos, entre outros muitos disponíveis no mercado dermocosmético

Quais recursos terapêuticos usar

  • Vácuo
  • Vapor de ozônio
  • Microcorrentes
  • Ionização
  • Led azul e vermelho

E agora, para que você colocar em prática agora mesmo, vou deixar um protocolo que eu amo! Você pode seguir a mesma linha de raciocínio e direcionar os ativos para o seu objetivo principal.

Esse protocolo já foi disponibilizado aqui no blog. Se você já o tem, ele vai ajudar muito nesse processo; e se ainda não tem, o link do post está aqui embaixo para você ler e baixar:

Me conta aqui nos comentários quais as mágicas essas hidratações estão realizando na sua Clínica de Estética!

E mais: Ouça o podcast sobre este assunto, que vem com mais alguns insights especiais pra você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *